Carta Aberta à Renato Aragão – Didi – Criança Esperança

Aproveito este espaço para publicar esta carta que recebi por email e expressa muito bem o que sentimos quando além de trabalhar 3,5 meses para pagar impostos, somos pressionados a doar mais dinheiro e fazer o papel que a administração pública não faz.

Utilize o Impostômetro para saber o quanto contribui para que o Governo faça a parte dele.

 

Querido Didi,

Há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu nome para colar nas correspondências).

Achei que as cartas não deveriam sem endereçadas à mim.
Agora, novamente, você me escreve preocupado por eu não ter atendido as suas solicitações. Diante de sua insistência, me senti na obrigação de parar tudo e te escrever uma resposta.

Não foi por “algum” motivo que não fiz a doação em dinheiro solicitada por você. São vários os motivos que me levam a não participar de sua campanha altruísta (se eu quisesse poderia escrever umas dez páginas sobre esses motivos). Você diz, em sua última carta, que enquanto eu a estivesse lendo, uma criança estaria perdendo a chance de se desenvolver e aprender pela
falta de investimentos em sua formação.

Didi, não tente me fazer sentir culpada. Essa jogada publicitária eu conheço muito bem. Esse tipo de texto apelativo pode funcionar com muitas pessoas mas, comigo não. Eu não sou ministra da educação, não ordeno as despesas das escolas e nem posso obrigar o filho do vizinho a freqüentar as salas de aula.

A minha parte eu já venho fazendo desde os 11 anos quando comecei a trabalhar na roça para ajudar meus pais no sustento da família. Trabalhei muito e, te garanto, trabalho não mata ninguém.

Estudei na escola da zona rural, fiz supletivo, estudei à distância e muito antes de ser jornalista e publicitária eu já era uma micro empresária.

Didi, talvez você não tenha noção do quanto o Governo Federal tira do nosso suor para manter a saúde, a educação, a segurança e tudo o mais que o povo brasileiro precisa. Os impostos são muito altos !

Sem falar dos impostos embutidos em cada alimento, em cada produto que preciso comprar para minha família.

Eu já pago pela educação duas vezes: pago pela educação na escola pública, através dos impostos, e na escola particular, mensalmente, porque a escola pública não atende com o ensino de qualidade que, acredito, meus dois filhos merecem. Não acho louvável recorrer à sociedade para resolver um problema que nem deveria existir pelo volume de dinheiro arrecadado em nome da
educação e de tantos outros problemas sociais. O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores, dessa dinheirama toda, não tem a educação como prioridade. O dinheiro está saindo pelo ralo, estão jogando fora, ou aplicando muito mal.

Para você ter uma idéia, na minha cidade, a alimentação de um presidiário custa para os cofres públicos R$ 3,82 (três reais e oitenta e dois centavos) enquanto que a merenda de uma criança na escola pública custa R$ 0,20 (vinte centavos)! O governo precisa rever suas prioridades, você não concorda?

Você diz em sua carta que não dá para aceitar que um brasileiro se torne adulto sem compreender um texto simples ou conseguir fazer uma conta de matemática. Concordo com você. É por isso que sua carta não deveria ser endereçada à minha pessoa. Deveria se endereçada ao Presidente da República.

Ele é “o cara”. Ele tem a chave do cofre. Eu e mais milhares de pessoas só colocamos o dinheiro lá para que ele faça o que for necessário para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

No último parágrafo da sua carta, mais uma vez, você joga a responsabilidade para cima de mim dizendo que as crianças precisam da “minha” doação, que a “minha” doação faz toda a diferença. Lamento discordar de você Didi. Com o valor da doação mínima, de R$ 15,00, eu posso comprar 12 quilos de arroz para
alimentar minha família por um mês ou posso comprar pão para o café da manhã por 10 dias.

Didi, você pode até me chamar de muquirana, não me importo, mas R$ 15,00 eu não vou doar. Minha doação mensal já é muito grande. Se você não sabe, eu faço doações mensais de 27,5% de tudo o que ganho e posso te garantir que essa grana, se ficasse comigo, seria muito melhor aplicada na qualidade de vida da minha família.
Você sabia que para pagar os impostos eu tenho que dizer não para quase tudo que meus filhos querem ou precisam? Meu filho de 12 anos quer praticar tênis e eu não posso pagar as aulas que são caras demais para nosso padrão de vida.

Você acha isso justo? Acredito que não.
Você é um homem de bom senso e saberá entender os meus motivos para não colaborar com sua campanha pela educação brasileira.

Outra coisa Didi, mande uma carta para o Presidente pedindo para ele selecionar melhor os professores. Só escolher quem de fato tem vocação para o ensino.

Melhorar os salários, desses profissionais, também funciona para que eles tomem gosto pela profissão e vistam, de fato, a camisa da educação. Peça para ele, também, fazer escolas de horário integral, escolas em que as crianças possam além de ler, escrever e fazer contas, possam desenvolver dons artísticos, esportivos e habilidades profissionais. Dinheiro para isso tem sim ! Diga para ele priorizar a educação e utilizar melhor os recursos.

Bem, você assina suas cartas com o pomposo título de Embaixador Especial do Unicef para Crianças Brasileiras e eu vou me despedindo assinando…

Eliane Sinhasique – Mantenedora Principal dos Dois Filhos que Pari.

About these ads

31 Respostas para “Carta Aberta à Renato Aragão – Didi – Criança Esperança

  1. É esquisito o Didi como embaixador Especial da Unicef para as crianças brasileiras, porque me lembro bem há alguns anos atrás, no Hotel Tropical em Manaus, gravando aquela série da SWAT, quando as crianças se aproximavam dele, ele além de não dar a mínima atenção deixava que os seguranças impedissem as crianças de assediá-lo. Se agora é embaixador das crianças, acredito que o salário deve ser muito bom.

  2. Bem , o que comentar de uma carta aberta com tantos recursos lingüisticos bem usados. Usei-a na minha aula de português com os meus alunos de 8ª série e eles, além de concordar com a qualidade do texto, concordaram muito com o ponto de vista da autora!
    Parebéns!

  3. Eliane,
    Se você me permitir faço minha suas palavras principalmente no tocante ao paragrafo “O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores, dessa dinheirama toda, não tem a educação como prioridade. O dinheiro está saindo pelo ralo, estão jogando fora, ou aplicando muito mal.” e tome impostos…
    Parabéns
    Iara

  4. Nighthawk says : I absolutely agree with this !

  5. Não concordo com a carta…

    Desconheço a seriedade do programa da Unicef, mas pagar impostos não nos exime de responsabilidades. Se queremos um país e um mundo melhores tempos que arregaçar as mangas para vigiar o governo, exigir que ele faça o trabalho para o qual nós o pagamos.

    Dizer “eu pago impostos” e “vá pressionar o governo” é uma atitude feia, um “tirar o corpo fora”, mas quando a violência bate à nossa porta não adianta tirar o corpo fora e reclamar do governo! Ai já será tarde.

    Além do mais, supondo que o dinheiro doado à Unicef realmente seja direcionado a projetos que tiram as crianças da miséria e da falta de acesso à educação, vamos sabotar este projeto porque o governo não faz o trabalho dele????

    Estou cansado das desculpas que a gente cria para fugir da nossa responsabilidade…

    • Concordo! Se essa jornalista quer fazer uma carta a presidente, faça ela mesma! Dizer que ela não tem condições de colocar o filho em escola de tênis é uma irresponsabilidade para com os que doam a UNICEF através do Criança Esperança, pois na certa os outros brasileiros sesíveis as nossas necessidades doaram para que haja uma escolinha de tênis gratuíta para o filhinho dela…inclusive!
      Ela me parece uma pessoa que está procurando desculpas para não doar R$15,00 se dizendo suficientemente esclarecida sobre assuntos da macro sociedade mas acho que este valor não irá fazer falta para o arroz e o pão dela, uma vez que o desconto de 27,5% de IR no salário se refere a alíquota máxima no salário de qualquer profissional muito bem pago no mercado! Que fiquemos tristes por ela… tomara que os filhos dela nunca precisem dos 27,5% que o governo capta para seguros desempregos, atendimentos médicos, escolas, creches… pois ainda que estejamos sendo roubados, ainda existem gente de valor administrando a coisa pública! É fácil dizer não é minha responsabilidade vendo crianças pedindo ou roubando valores para sobreviver, quando o difícil é se desfazer de R$15,00 por conta do próximo!
      Desculpe DIDI mas você gastou brindes e papel com gente mesquinha, mercenária , altiva e autosuficiente! Que pena!

  6. parabéns pelo blog.

  7. Respondendo ao usuário Roney que diz não concordar com a carta, eu gostaria de dizer que eu tmbém acho que não nos custa sermos solidários, e fazer a nossa parte até mesmo em pequenos gestos.
    O que o senhor Roney esta esquecendo de considerar é que a maior indignação da autora da carta é o fato de a campanha colocar sobre nós cidadães comuns, já tão onerados com impostos, a responsabilidade de ‘salvar’ o futuro de milhares de crianças com uma única doação.
    Apure senhor Roney seus olhos críticos, que tenho certeza que o senhor os possui, e assim verá como temos razão.

    O problema não é a campanha em si e sim o repertório sofismático adotado para veícula-la buscando o maior número de doações a qualquer modo, até mesmo apelando, e eu disse APELANDO para a consiência, já tão torturada dos brasileiros, que assim como o senhor, possuem um enorme coração.

    Tudo de bom.

  8. Eliane…

    Meus parabens, é o que posso dizer a você!

  9. Concordo plenamente com o autor da materia, acho um abusrdo esta coisa do Criança Esperança, se alem de pagarmos os R$ que pedem, ainda termos que pagar os impostos da ligação, ora, porque o governo nao da a parte dele, isenção da taxa do telefone, ao menos isto, porque no nosso dia a dia ja pagamos os nossos impostos, assim meio a grosso modo parajustifica-los(Imposto de renda 27,5%, Inss de 9 a 11%, Contr. SIndical 1 dia de meu serviço, Condução 6% de meu salario, Alimentação de minha familia 33% de m eu salario, Condominio, Luz, Agua, IPTU, Assistencia medica ja que o governo nao me da; IPVA se eu tiver carro Licenciamento, Seguro Obrigatorio, PEdagio…e assim vai) querem mais, ora DIDI embaixador me poupe, primeiro procure ser um comediante melhor depois tudo bem….mas olhe peça ao governo dar a parte dele….

  10. eu avo de um menino que precisa de ajuda pois preciso ir para cuba fazer um tratamento nele e o custo e muito alto fiz papel de idiota achando que conseguiria alguma ajuda na Unicef e fui até la pedir ajuda pessoalmente a resposta e claro que foi nao,Mais para deixar bem claro a Unicef nada tem a ver com o criança esperançaagora fica tudo com a Unesco.fiquei muito decepcionada para onde será que vai o dinheiro que ajudamos pois me negaram ajuda.

  11. Renato, tenho uma poesia “Criança de Rua” e gostaría que voce escolhece um compositor para colocar melodia,se for possivel, me responda.

  12. gostaria de saber qual o montante de doação que vem destes bem pagos “artistas” pois acho que o mundo deles desconhece realmente o mundo das crianças da periferias das grandes cidades . ai vai uma sugestão ,porque voces artistas que tem o microfone não mão e uma camera para expressar ,façam uma campanha para limpar a politica brasileira ou sera que voces ligados as grandes redes de comunicação não podem faze-lo por algum motivo?
    sds
    carlos nunes bhte mg

  13. E isto ai acho que todos nos temos que ter solidariedade mas a ponto de sermos chantageados por uma midia manipuladora como a globo e demais.temos mesmo de boicotar este tipo de campanha ,vamos cobrar do governo uma atitude,pois minha bunda nao aguenta mais impostos.

  14. Entendo a indignação da senhora Eliane Sinhasique. Mas uma coisa me chamou a atenção: Já recebi essa carta, via e-mail, por duas vezes. A primeira há dois anos. O que significa o quanto tal carta está sendo divulgada. Se tivéssemos essa mesma indignação com os políticos, vejo o quanto poderíamos fazer pelo país. O que não acontece, visto que há anos os mesmos continuam no poder. Se fôssemos estimulados a exigir nossos direitos assim como estamos sendo estimulados a não fazer doações (doação é voluntária, não é obrigatória),acredito que teríamos um Brasil muito melhor.

  15. Lorena Simões - Mídias Sociais TV Globo

    Em virtude de mensagens que circulam na internet com falsas informações sobre o Criança Esperança, a UNESCO esclarece que:

    1. As doações para o Criança Esperança são diretamente depositadas em conta administrada pela UNESCO, que destina esses recursos única e exclusivamente para projetos sociais implementados no Brasil. Nenhuma doação do Criança Esperança passa pela Rede Globo.

    2. Por se tratar de uma agência das Nações Unidas, doações para a UNESCO não são dedutíveis no Imposto de Renda, que veta supressão de contribuições feitas a organismos internacionais. Dessa forma, é inverídica a suposição de que a Rede Globo obtém benefícios fiscais com a campanha Criança Esperança. A Rede Globo, assim como a UNESCO, não se beneficia de qualquer recurso de abatimento fiscal em função do Criança Esperança.

    3. Todo ano, por meio do jornalismo e da grade de programação da emissora, a Rede Globo e a UNESCO divulgam para a sociedade o trabalho realizado pelos projetos sociais que recebem recursos da campanha Criança Esperança. A lista completa dessas iniciativas está neste site, bem como informações gerais a respeito do projeto.

    A UNESCO lamenta que pessoas ou grupos propagem informações falsas para prejudicar um projeto que se destina a beneficiar, com recursos e exposição de temas, um dos mais sensíveis e vulneráveis segmentos de nossa sociedade. Aproveitamos a oportunidade para agradecer aos milhares de brasileiros que há 25 anos contribuem com o Criança Esperança, permitindo que até hoje se tenham destinado recursos para apoiar mais de cinco mil projetos sociais.

    UNESCO no Brasil:
    SAS Quadra 5, Lote 6, Ed. CNPq/IBICT/UNESCO 9o andar.
    Brasília – DF
    Brasil
    http://www.unesco.org.br

  16. Na verdade eu acho a autora do texto uma hipocrita sendo um pouco grosso.Na verdade o texto dela tem alguns pontos positivos e outros negativos. O que custa ser um pouco solidario e ajudar com esta quantia no projeto da unicef acho sim que o governo tem que distribuir melhor as taxas de impostos que sao pagas mais tambem acho da mesma forma que ela deve ter um pouco de senso e ser solidaria pois nao adianta nada cobrar do governo verbalmente e nao fazer nada na pratica.

  17. Comentário Excluído por mal uso do espaço!

  18. CONCORDO COM O IRMÃO YURI.
    AMEN

  19. Yuri, eu penso que este site nao e uma brincadeira para criancinhas como voce. Esta na hora de criancinha dormir. Voce nao sabe nem a gravidade das suas palavras escritas. Se voce é um analfabeto o problema é seu brother mais na fique fazendo brincadeiras com um projeto tao serio como esse seu hipocrita!!!

  20. Mateus e Artur, concordo com voces!!

  21. Um belo e pomposo incentivo à alienação é o que eu leio aqui. Esse papo de “eu pago imposto, já faço minha parte” é a mesma atitude que permite que o precioso dinheiro que gastamos com os impostos seja roubado e mal usado pelos políticos sem que o povo faça NADA a respeito. Aí quando surge uma iniciativa privada de tentar melhorar a vida de crianças que morrem à míngua – enquanto o pobre filhinho da autora da carta sofre por não poder ter aulinhas de tênis – todo mundo cai em cima porque é ‘cult’ xingar a Globo. Tenha dó. Enquanto o povo continuar reproduzindo esses discursos pré-fabricados cheios de ignorância disfarçada dessa verborragia de “cidadão consciente dos seus direitos” nem o povo pára de ser roubado pelos políticos, nem os coitados que não têm voz vão ter uma oportunidade de ter uma vida decente.

  22. SRA. LORENA SIMÕES, A SRA. TENTA EXPLICAR O IINEXPLICÁVEL, POIS SE O QUE V.SA. DIZ É VERDADE, ESTAMOS TIRANDO DINHEIRO DO BRASIL PARA UMA AGÊNCIA INTERNACIONAL, QUANDO ESSE DINHEIRO SERIA MUITO MAIS BEM APLICADO SE O FOSSE PARA AS CRIANÇAS BRASILEIRAS, ATRAVÉS DE UM ÓRGÃO SÉRIO NACIONAL (SERÁ QUE EXISTE ?), PODENDO OS DOADORES FAZEREM SUA DEDUÇÃO FISCAL E POSSIBILITANDO QUE TODO O VALOR ARRECADADO FOSSE APLICADO ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE EM NOSSO PAÍS. MAS , É CLARO, A GLOBO NÃO TEM INTERESSE NISSO, POIS SE ASSIM ACONTECESSE COMO ELA IRIA FATURAR EM CIMA, QUEM PAGARIA OS CACHÊS MILIONÁRIOS DO DIDI ?

  23. quem dera mais pessoas tivesem acesso a esta carta
    parabens a autora do texto, faço das palavras dela as minhas.

    marcos de souza ( funcionário publico da educação )

  24. É isso que chamo de egoísmo, só para você ter uma ideia os Estados Unidos, segundo pesquisas é o pais que mais fazem doações, eles fazem doação para tudo, contra o câncer, para pesquisas, para os direitos dos animais, para a campanha gay, etc…Não é a toda que são uma nação desenvolvida. Esta carta é o simbolo da mesquinhez, que muitos brasileiros tem no coração. Essa idiota que escreveu isso, esquece que um país que se uni será forte e muito mais grandioso. Faço doação não só para o criança esperança, como para outras instituições e até para quem cuida dos animais. Se pensarmos assim como essa boçal, estaremos longe de ser um país com igualdade e próspero.

    • Comparar os Estados Unidos com o Brasil já mostra que vc entende pouco da situação do seu país, sabe quanto os americanos pagam de impostos? Sabe qual é o salário mínimo do americano? Vc tem filhos para sustentar? É obrigada a pagar escola particular para que seu filho não seja um analfabeto funcional? Para que o país melhore precisamos de voto distrital e voto não obrigatório e tirar a capital daquele antro que é Brasília pois assim os políticos são obrigados a ficar perto do povo e fica mais fácil vigia-los. Outra coisa xingar uma pessoa por ela dar a opinião dela demonstra o quanto vc está longe de ter bom senso, a carta é uma opinião pessoal e deve ser respeitada mesmo que vc não concorde.

  25. Suelen,
    A carta está perfeita. Com qual dinheiro foi enviada milhares de cartas pedindo doação. Com certeza não foi com o dinheiro do Sr. Didi e também os correios não fizeram caridade de enviar as cartinhas. Com certeza sai das doações feitas. Aquele show caríssimo apresentado no Ibirapuera tem um custo alto, com certeza não sai do bolso do Sr didi e sim das doacões. Pensem nisso. Antes de fazer qualquer doação olhem para dentro da sua casa, com certeza tem alguém precisando.É o que faço sempre ajudo pessoas da minha família. Se cada um cuidar da sua família não haverá necessidade de campanhas. Mesmo o Sr. Didi ele deve ter muitos familiares lá no sertão do Ceará precisando de ajuda.

  26. Eu prefiro doar para alguém real, onde eu possa ver os beneficios, não pelo telefone, onde jamais saberei se essa doação realmentre vai ser para as crianças, ou para cobrir orçamentos ou lavagem de dinheiro.

  27. Concordo com a sua carta e mais para que possamos dar um jeito nessa situação só o voto sendo distrital e não obrigatório.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s